Histórico
Votação
Dê uma nota para meu blog


Outros sites
Educação Sexual de forma facil e rapida!
Educação para portadores de deficiencia
Educação Alternativa
Sexo Educado
EducAção
Tua vó na escola
Hominus Tetris
Tudo em casa







Rumo ao Septacampeonato

Não é apenas no futebol que o Brasil se destaca mundialmente. Pelo 6.º ano consecutivo o país é o maior reciclador de latas de alumínio do mundo.

A pesquisa foi realizada e divulgada pela ABAL (Associação Brasileira do Alumínio) e pela Abralatas (Associação Brasileira dos Fabricantes de Latas de Alta Reciclagem), e desde 2001 que o Brasil é líder absoluto. No ano passado o país foi o vencedor com 139,1 mil toneladas de latas recicladas.

Os responsáveis por esta marca não são, infelizmente, apenas o incentivo à preservação do meio ambiente e o governo, mas também, as grandes taxas de miséria e desemprego que castigam o nosso país. E graças a essa realidade que o catador de rua se destaca como um verdadeiro “artilheiro”.

Em média as recicladoras pagam R$ 3,50 pelo quilo da latinha reciclada. Pode-se afirmar então, que neste último ano, as pessoas que reciclaram latas ganharam, aproximadamente, R$ 1,7 bilhão. Com esta quantia daria para comprar 4,857 milhões carros populares**.

Desta vez, quem “veste” a camisa 10 não é apenas um craque, são vários “fenômenos” anônimos que, muitas vezes inconscientemente, contribuem para a gloria do nosso país e para o futuro dele. São os catadores de rua.
 
** Preço aproximado do carro Fox City 1.0 2007/2008 da Volkswagen.

Fontes: Abralatas, Portal Terra e Carsale.

Foto e montagem feitas por Filipe Lopes, 06/10/2007.



 Escrito por Filipe Lopes às 12h37
[] [envie esta mensagem] []



Um grito de socorro

A Amazônia é popularmente conhecida como “O pulmão do mundo”, mas este “pulmão” está cada dia mais ameaçado pelo desmatamento e pelas constantes queimadas.

Desde a década de 1970, 15% da Amazônia nacional (que equivale ao território da França), foi completamente destruída por estas atividades ilegais. Em 1970, a Amazônia era responsável por apenas 12% das exportações de madeira, hoje é responsável por 90%. Dados alarmantes que colocam em risco o futuro do mundo.

Os Índios que vivem nesta região estão tendo que atuarem como “cúmplices” destes madeireiros, para garantirem sua existência. Existem varias denúncias contras os índios, uma delas foi publicada há dois anos pelo jornal Estado de São Paulo, onde o chefe dos índios, Megaron, revelava que os índios recebiam R$ 50 para permitirem a exploração de mogno das áreas preservadas. 
 Mas não pensem que os índios são os culpados por está destruição desenfreada da Amazônia. Nós somos os principais culpados. Os índios não tem saída, ou fazem isso ou morrem, nós não. Estamos aqui, muito longe mais ao menos tempo muito perto da destruição, assistindo passivamente ao nosso fim.

ONGs foram criadas para fiscalizar estes crimes, mas se nós não tomarmos uma atitude, de nada adiantarão. Foram grupos poderosos que dominaram a Amazônia, com dinheiro e influência. E se não pararmos de achar que o problema não é nosso, em menos de 30 anos, contaremos para nossos filhos e netos que existiu “O pulmão do mundo”, mas que nossa passividade o destruiu.  

Fonte: Greenpeace

Foto: Diário de um cão



 Escrito por Filipe Lopes às 13h25
[] [envie esta mensagem] []



Crédito de carbono rende R$ 34 milhões à Prefeitura de São Paulo

O banco privado holandês Fortis Bank NV/SA foi o vencedor do primeiro leilão público de créditos de carbono do Brasil.Estavam à venda 808.450 Reduções Certificadas de Emissões (RCEs), conhecidas como créditos de carbono, de titularidade da Prefeitura de São Paulo, geradas do projeto do aterro sanitário Bandeirantes, em Perus, na zona oeste da cidade. O leilão foi realizado pela Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&F).

O Fortis pagou 16,20 euros a tonelada de carbono, valor superior aos 12,70 fixados pela prefeitura,

O primeiro lance, de 13 euros a tonelada, foi feito pelo próprio Fortis apenas 11 segundos depois de o leilão ser aberto, às 10 horas em ponto. Ao todo, 14 empresas confirmaram o interesse pelas RCEs da Prefeitura, mas apenas nove fizeram lances na hora e meia de duração do evento. O valor mais próximo ao do preço de venda coube ao banco de investimento americano Goldman Sachs, um dos maiores do mundo, que ofereceu 15,90 euros pela tonelada.

Segundo o prefeito, o sucesso da venda faz de São Paulo um exemplo para outras cidades brasileiras no que diz respeito a ações que visem reduzir o efeito estufa. Na visão do presidente da BM&F, Manoel Felix Cintra, o primeiro leilão no mercado à vista realizado no mundo por uma bolsa regulada não apenas ajuda a organizar o mercado de RCEs como chama a atenção de investidores externos para o Brasil.

Os créditos de carbono vendidos ontem pela Prefeitura de São Paulo correspondem ao volume de 1,670 milhão de toneladas de gás metano, um dos mais nocivos ao meio ambiente, que deixou de ser lançado na atmosfera.

Uma concessão feita pela Prefeitura, por meio de licitação, à Biogás Energia Ambiental, permitiu que o lixo virasse matéria-prima para a geração de energia elétrica.

 

   Foto: Blog ssunssett

 


 

 



 Escrito por Flavio Taurisano às 21h22
[] [envie esta mensagem] []



Falta de educação urbana

                       

Não é necessário irmos muito longe para avistar a falta de educação ambiental da população. Basta irmos ao centro da capital paulista para tomarmos conhecimento da gravidade do problema. Simplesmente caminhando pelas ruas nota-se a sujeira a qual a cidade é submetida, devido a grande quantidade de lixo jogado nas calçadas, rios, esgotos, córregos, etc.

Existem vários projetos em prol do meio ambiente, várias mobilizações populares para que a população se conscientize de seus hábitos errados e parem de destruir o meio ambiente, porém esses não se importam com os riscos que causam quando jogam detritos na rua, não tem noção que estão destruindo aos poucos o seu próprio lar dessa forma, é uma maneira de devastar um pouco mais a terra.

A destruição do nosso meio ambiente não se dá apenas por queimadas, utilização de gases destruidores da camada de ozônio ou por jogar esgotos em rios. Contribui muito para a degradação do planeta, a emissão de CO² dos escapamentos de carros, jogar lixo na rua, os quais futuramente entupirão bueiros e causarão enchentes, despejar detritos em locais em céu aberto.

Porém sujar não é o único problema, limpar também! Sim, limpar! Por exemplo, o gasto de água toda vez que se lava quintal todos os dias, o desperdício de lavar carro com a mangueira aberta, lavar calçadas ao invés de varrê-las. Isso tudo ajuda para que o meio ambiente se desgaste cada vez mais. Não é fato raro passarmos na rua e vermos pessoas lavando carros, conversando e desperdiçando água. 

É necessário que tomemos consciência de que evitar mal tratar o nosso meio ambiente é preservar nosso futuro, e a partir disso sabemos que é nosso dever não somente realizar nossa parte poupando o meio ambiente, porém devemos sempre que conscientizar quem está à nossa volta. Volto a dizer, se cada um fizer a sua parte, iremos mobilizar o mundo!

 

Foto: Meio Ambiente



 Escrito por Cesar Voltolim às 14h40
[] [envie esta mensagem] []



Três etapas

  A Prefeitura de Ribeirão Pires lançou neste ano na rede municipal escolar o projeto PIPA. O projeto visa em atividades extracurriculares conscientizar os alunos nas áreas de esporte, cultura, e meio ambiente. O programa é divido em três etapas: o PIPA I – Programa de Incentivo ao Pequeno Atleta; o PIPA II – Programa e Incentivo ao Pequeno Artista e PIPA III – Programa de Incentivo à Preservação Ambiental.

A Secretaria de Juventude, Esporte e Lazer é a responsável pelo desenvolvimento do projeto, e o mesmo ainda conta com o acompanhamento de estagiários de universidades próximas. O programa é uma expansão de um pequeno programa que obteve grandes resultados com as crianças, feito pela EMEI Tia Mariinha, Av. Ribeirão Pires, 851 - V. Aurora.

Depois de tantas provas que cuidar do meio ambiente hoje não é apenas necessário, mas sim vital, ainda é preciso causar outros estímulos para que as pessoas se conscientizem. Talvez o simples projeto ambiental não estimulasse tanto o público e nem as crianças, por isso foram implantadas as etapas culturais e esportivas.



 Escrito por Rodrigo Santos às 14h26
[] [envie esta mensagem] []



Dia Mundial Sem Carro

 

Hoje acontece o Dia Mundial Sem Carro em aproximadamente 56 cidades brasileiras. O evento começou na França em 1998, se estendeu pela Europa e hoje, também está presente, em outros continentes.

Aqui no Brasil, o evento acontece desde 2001, e cada vez mais vai se estendendo e conquistando mais adeptos. A proposta é deixar seus automóveis na garagem, apenas hoje, e aproveitar o lazer que a cidade proporciona.  Além de contribuir para a preservação da camada de ozônio.

 As prefeituras das cidades fecham ruas principais, geralmente dos centros, para impedir o acesso de carros e para praticar vários esportes. Como por exemplo, em São Paulo está sendo praticada a virada esportiva: que são 24 horas de atividades esportivas, sem parar, abertas ao público. São distribuídos panfletos para a conscientização dos perigos do aquecimento global e dicas para usar melhor o seu carro sem destruir o meio ambiente.

  Mobilizações como esta, merecem destaque e prestigio. Quantas vezes nos pegamos reclamando do ar que está poluído e da prefeitura que não toma nenhuma atitude para mudar isso? Bom, desta vez ela está ativa e devemos elogiar essa atitude. Mesmo sendo pouco, um dia de mobilização.

 

 

Foto: Ana Cecilia

 



 Escrito por Filipe Lopes às 12h48
[] [envie esta mensagem] []



Brasil é o 5º país do mundo que menos polui com gás CFC

A notícia acima foi publicada e veiculada em vários meios de comunicação, exaltando a política ambiental brasileira de reduzir a emissão de de CFC, esse gás é o maior responsável pela destruição da camada de ozônio e pode ser encontrado em aerosóis como por exemplo de desodorante, ou inseticida. Mais será que a nossa política ambiental é tão boa assim a ponto de sermos considerados pela ONU um dos países que mais reduziram a emissão desse tipo de gás tão nocivo?

Eu certamente não sei responder, é louvável o fato de termos reduzido tanto a emissão de CFC, porém em outro ranking da ONU somos duramente criticados pelas constantes queimadas e pela devastação na Amazônia, por que então não conseguimos combater as queimadas e a destruição da Amazônia?

Vale lembrar também que nossos rios são um dos mais poluídos do mundo, e nem sequer temos projetos concretos que visem a limpeza desses rios.

Não estou criticando a política ambiental brasileira, apenas questiono o por que não somos um pouco mais ambiciosos em termos ambientais, se soubermos planejar poderemos tirar muito proveito de nossas riquezas naturais.Basta aliar preservação ambiental com economia e termos o que se costuma chamar de desenvolvimento sustentável.

Fonte: Terra 

                                

llustração a qual mostra o malefício causado pelo gás CFC no nosso planeta

Fonte: Objetivo



 Escrito por Flavio Taurisano às 22h05
[] [envie esta mensagem] []



Atentado contra o meio ambiente

 

Em matéria publicada no jornal on-line do “Estadão”, foi relatada uma explosão em um oleoduto na cidade de Beiji, Iraque. A explosão fez com que se espalhasse grande quantidade de óleo pelo rio Tigres, um dos mais importantes rios do Oriente Médio. O atentado aconteceu de madrugada, o que dificultou o trabalho de apagar as chamas da explosão e fazer com que o óleo não se espalhasse, pois até os bombeiros temem sair após o anoitecer no país temendo ataques.

Esse derramamento de óleo prejudicou seriamente o meio ambiente da região, pois a quantidade excessiva de óleo fez com que esse se espalhasse a mais de 100 km ao sul do oleoduto, na cidade de Tikrit. Isso fez com que funcionários iraquianos ficassem em alerta e fechassem as estações de tratamento da água para evitar contaminação e poluição da mesma.

É um grande absurdo ver noticias tais como essas, por motivos políticos, territoriais ou religiosos o ser humano destrói o nosso meio ambiente. A palavra correta é respeito, no caso falta de respeito, contra a natureza e contra a população do planeta que também o habita. O que será que está faltando na cabeça das pessoas para perceberem que estão destruindo nosso lar.

No momento em que ocorre um desastre ambiental desse o grande prejudicado não são somente os peixes do rio, os animais que bebem e se banham nas águas do rio, mais sim o planeta Terra que é simplesmente nossa casa. Por isso continuamos a favor de reeducar o pensamento ambiental do planeta, conscientizar a todos que é nosso dever cuidar bem do que é nosso.

Se cada um fizer sua parte, iremos mobilizar o mundo!

 

Explosão de oleoduto no Iraque

Fonte: BBC

 



 Escrito por Cesar Voltolim às 16h32
[] [envie esta mensagem] []



Coleta Seletiva nas escolas

 Um Projeto de Lei que torna todas entidades educacionais em postos de coleta seletiva está em análise na assembléia legislativa de São Paulo. O Projeto tem como idéia fazer com que instituições de ensino de todos os níveis educacionais venham a se tornar postos da coleta seletiva, a idealizadora é a deputada Vanessa Damo do Partido Verde. 

Pessoas que em suas residências recolhem lixo separadamente (papel, vidro, plástico e metal) poderão entregar nas escolas, que a partir de lá será encaminhado aos postos de reciclagem. As escolas também receberão óleo de cozinha usado, pois pode ser reutilizado na produção do biodíesel. O projeto ainda influência ambientalmente as crianças a separarem os lixo dentro de casa.

Nem tudo que é lixo é inútil. Um simples trabalho de separar o lixo antes de jogar fora pode mudar muita coisa. A obrigação de separar não é só dos comerciantes e lojistas, mas também das pessoas em casa.

A coleta seletiva é um sistema de recolhimento de materiais recicláveis, que são diferenciados através das cores. Esse tipo de coleta pode ser feito por todos na própria residência. Já existem sacolas plásticas das cores predeterminadas á venda para facilitar na separação.

As iniciativas são tomadas, mas quem decide e faz acontecer é você!



 Escrito por Rodrigo Santos às 14h23
[] [envie esta mensagem] []



De Volta ao canavial

 Etanol ou álcool natural mesmo. A grande saída para o mundo que não dispõe mais do petróleo e cada dia se condena na poluição.

Forma de produção 100% brasileira, o álcool extraído da cana-de-açúcar é um dos meios mais limpos e barato de energia. Junto com os EUA, o Brasil está no topo dos países que mais exportam etanol do mundo. A vantagem em relação aos norte-americanos é que o etanol extraído da cana é muito mais barato que o extraído do milho (formato americano). Por isso essa aposta tem tudo para dar certo, tanto financeiramente quanto ecologicamente.

Será?

Bom... Se der certo, o Brasil vai exportar mais. Ganhar muito dinheiro e aumentar a produção. Se aumentar a produção, terá que aumentar também a área de cultivo da cana... Em pouco tempo essa atividade será a principal do país, com a extinção do petróleo. E a pecuária e a agricultura vão perder muito mercado, se tornando caro alimentar o gado e cultivar produtos de baixo valor. Os produtores investiram na nova forma de ganhar dinheiro, a cana! Aumentando a área de produção... Com tudo em menos de cinco anos, o Brasil se tornará um imenso canavial e a agricultura será praticamente de subsistência.

Estimativa pessimista? Pode ser. Mas em um país que a população do nordeste sofre até hoje com falta de água, mesmo sabendo que existe muita água subterrânea lá, e que por falta de interesse do governo e financeiro, milhares de pessoas morrem todos os anos de sede. Não é nenhum absurdo imaginar essa situação.

Além disso, existe o problema do desequilíbrio ambiental. O Homem interfere na natureza e provoca desastres inimagináveis.

Por tanto, CUIDADO!

Vamos apoiar fontes de energias renovais e ecologicamente corretas, mas não podemos esquecer do resto. De todo um ecossistema que não pode ser mudado.     

 

Canavial brasileiro.

Foto: USP



 Escrito por Filipe Lopes às 03h51
[] [envie esta mensagem] []



Salvem o cerrado brasileiro

O Cerrado sustenta uma enorme diversidade de espécies de plantas e aimais.Estudos recentes estimam o número de plantas vasculares em torno de 5 mil e mais de 1.600 espécies de mamíferos, aves e répteis já foram identificados nos ecossistemas de cerrado (Fauna do Cerrado, Costa et al., 1981).
Por outro lado, a pressão urbana e o rápido estabelecimento de atividades agrícolas na região vêm reduzindo rapidamente a biodiversidade. Até meados de 1960, as atividades agrícolas nos cerrados eram bastante limitadas, direcionadas principalmente à produção extensiva de gado de corte para subsistência ou para o mercado local, uma vez que os solos de cerrado são naturalmente inférteis para a produção agrícola. Grandes extensões são ainda utilizadas na produção de celulose para a indústria de papel, através do cultivo de várias espécies de Eucalyptus e Pinus.
A conservação dos recursos naturais dos cerrados é representada por diversas categorias de unidades de conservação, compreendendo cerca de 6,5% da área total de cerrado. Entretanto, esta extensão é ainda insuficiente e mais unidades de conservação precisam ser criadas para proteger a biodiversidade que ainda persiste.

                                                              Cerrado Brasileiro

                                                                  Fonte: UNB

 



 Escrito por Eduardo Agner às 16h25
[] [envie esta mensagem] []



Água: O petróleo do futuro!

Água: O petróleo do futuro!

  Todos os dias abrimos os jornais e nos deparamos com milhares de noticias a respeito de violência, esportes, moda, televisão, uma infinidade de coisas, porem ultimamente a ecologia e o meio ambiente vem ganhando espaço na mídia.

Relatórios bombásticos da ONU cada vez mais nos dão a dimensão do problema que estamos enfrentando. Como contornar essa situação? A resposta é bem simples, a educação é o caminho.

Há quem pense que ecologia trata-se apenas de plantar algumas arvores e pronto, tudo está resolvido, ledo engano.

Alem do plantio de arvores há muito mais coisas que podemos fazer para tentar salvar nosso planeta, uma delas é economizar energia, e esse recado vai principalmente para nós brasileiros que somos os reis do desperdício, pois para quem não sabe a energia elétrica que consumimos é proveniente da água, ou seja quanto mais energia consumimos mais água estamos desperdiçando, e esse é outro gravíssimo problema que afeta nosso ambiente, estudos preliminares da ONU apontam que dentro de 50 anos teremos muito pouca água disponível para consumo, por isso há quem diga que a água é o petróleo do futuro.Por isso temos que ser consientes e racionais com o consumo de água temos que cuidar do nosso planeta para deixarmos um bom lugar para nossos filhos e netos viverem.

Só depende de nós!!!

 

Pingo D'agua. Fonte: Radio Cacique 



 Escrito por Flavio Taurisano às 20h51
[] [envie esta mensagem] []



Educação ambiental na escola

O jornal mato-grossense “O Diário de Cuiabá”, divulgou uma matéria sobre a implantação de a Educação Ambiental constar na grade curricular das escolas em todo estado. A iniciativa partiu da professora e técnica de gerência de educação ambiental da Secretaria Estadual de Educação, o Seduc, Débora Eriléia Pedrotti. 

Segundo a professora o trabalho realizado em prol do meio ambiente já está instalado no Seduc desde 1986, e não foi muito bem sucedido, porém em 2004 ela resolveu reativar o projeto. Agora, o objetivo é implantar na educação escolar, sendo esse o momento mais oportuno para sua instalação no estado.

O nosso país necessita de iniciativas como essas, de pessoas de bem e muito preocupadas com o mundo que habitamos e com que irá habitá-lo. Essa é uma forma de fazer com que o povo se conscientize que não basta ficar de braços cruzados esperando o governo resolver esses problemas.

O projeto serve de exemplo para todos, e já não é de agora que sabemos que a melhor forma de se educar é começando desde cedo, e é pelas crianças que devemos começar a nos reeducar, pois serão elas que estarão brigando no futuro para que esse seja um planeta ao menos habitável, devemos saudar pessoas como a professora Pedrotti que têm atitudes tão nobres visando a melhoria de nosso planeta.

 



 Escrito por Cesar Voltolim às 15h57
[] [envie esta mensagem] []



Segundas Intenções

 A Prefeitura de Osaka e a Japan Internacional Coorporation Agency (Jica) em parceria com a Prefeitura de São Paulo lançou o projeto Ação de Educação Ambiental, que tem como objetivo conscientizar a prática dos 3Rs: Redução, Reutilização e Reciclagem dos resíduos sólidos na capital.

Os três primeiros distritos que receberam o programa foram o Jardim São Luís, Cidade Dutra e Capela do Socorro, ambos localizados na Zona Sul da Cidade. O projeto visa habilitar professores das redes estadual e municipal a conscientizar alunos entre 3 e 14 anos sobre a importância dos “3 Rs”. Atividades motivacionais como jogos, gincanas e teatro são feitos para as crianças.

Os organizadores têm a projeção de que em dez anos o programa seja instalado em todo o território estadual, e espera contar com o apoio de universidades e ONGs das determinadas regiões.

Talvez toda essa preocupação vinda do Oriente não seja para o bem estar de todos, mas também por termos a maior reserva florestal no mundo. Caso haja o esgotamento da água mundial, nada melhor para eles do que terem bons amigos no Brasil.

Isso pode servir de exemplo para a população, pois pessoas de fora já estão de olho no que é nosso, e se oferecendo para cuidar. No final isso pode custar caro, então não espere favores de terceiros, faça a sua parte e mantenha seu planeta limpo.



 Escrito por Rodrigo Santos às 14h36
[] [envie esta mensagem] []



Correndo atrás do Futuro

 Toda ação fica mais fortalecida com incentivos. Principalmente uma ação que conscientiza a população, em geral, para cuidar de seu futuro.

O shopping Penha realizou a “1.ª Maratona de Reciclagem”, entre alunos de três escolas do bairro. O objetivo era arrecadar o máximo de produtos recicláveis, entre os dias 23/04 a 22/06, e levá-los ao Shopping. Foram arrecadadas 3 toneladas de produtos recicláveis, sendo 1,8 tonelada arrecadada pelo 1.º colocado, o “Colégio Objetivo da Penha”. Foram premiados com um troféu e o montante da venda do que foi arrecadado.

Em um evento como esse todos saem vencedores, o Shopping, os alunos, a comunidade e o futuro de todos nós.

Devemos sempre destacar entidades que se preocupam com o meio ambiente, e levam a sério essa causa. Não é de hoje que o Shopping Penha se preocupa com o meio ambiente. No seu interior, estam espalhados adesivos de conscientização para a população, existe um espaço no piso G2 o “Eco ponto”, onde as pessoas podem reciclar os seus lixos, e fazem ainda apresentações teatrais visando o meio ambiente e distribuem cartilhas de orientação.

Aposto que muita gente que mora no bairro nem se quer tinha conhecimento dessas ações. Eu, por exemplo, não fazia idéia disso. Uma vergonha, eu admito. Pois o primeiro lugar que devemos preservar, é o lugar em que vivemos.

( Fonte: Edição exclusiva escrita do Jornal Do Momento)

 

Propaganda da 1.ª Maratona de Reciclagem feita pelo Shopping Penha.

Foto: Shopping Penha



 Escrito por Filipe Lopes às 11h55
[] [envie esta mensagem] []



[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]